Test our Coffee

02 de Março de 2017

ORADORES

PEDRO COSTA

O Pedro Costa é Practice Manager e é o responsável pela oferta de IT Quality da Altran Portugal, assumindo responsabilidades ao nível da pré-venda, da comunidade de Testers da Altran - que já conta com mais de 150 profissionais, grande parte destes dedicados aos global delivery centers do grupo Altran no Fundão e Porto.
Tem um background tecnológico que passou por uma carreira de webdesigner, web developer, Java Architect e mais tarde IT Quality System Architect. Mais recentemente foi o responsável pela implementação do GDC Node que se dedica à industrialização da automatização de testes de regressão chamado AVV - Automated Validation & Verification. Neste sentido ele irá partilhar a sua experiência e o papel e estratégias de automatização de testes em projetos Agile com equipas Geo-distribuídas.

ANTÓNIO ALMEIDA

Test Manager na Hitachi Consulting UK líder do departamento de testes na área de Oracle. Desempenha com competência e responsabilidade a definição das estratégias e gestão dos serviços de testes. António iniciou a sua carreira na Philips em 1990 no departamento de Engenharia de Qualidade. Dez anos mais tarde aceitou o desafio de entrar na Enabler, uma companhia Portuguesa de TI, comprada depois de alguns anos pela indiana Wipro. Desde então, o António tem desempenhado os diversos papéis da área de testes: Tester / Consultor / Líder e Gestor de testes. Ele possui um profundo conhecimento na área de Testes aplicada a cada uma das fases de implementação de sistemas na metodologia tradicional Waterfall: desenho, planeamento, coordenação, execução e suporte. Com vasta experiência e conhecimentos não só técnicos, mas também, de negócio e em soluções de Oracle Retail e Oracle Fusion e as suas integrações com os sistemas legado dos Clientes. O António tem participado em vários projetos de Oracle Retail para clientes de Retalho em diferentes países e continentes, nomeadamente a Sonae em Portugal, DeSpar na Itália, Sultan Center no Kuwait, Tesco na república Checa, Supervalue nos EUA, entre outros; e recentemente na Wiggle no Reino Unido. Possui grande experiência em liderar equipas remotas: equipas locais no cliente (onshore), equipas no Porto e Lisboa consideradas nearshore, e equipas offshore na Índia. Liderando as várias fases do ciclo de vida de um CRP desde a elaboração das estimativas e planeamento de testes até a seleção e formação de recursos. António adora trabalhar num ambiente multicultural e multiempresa com parecerias ao longo do projeto para fazer a gestão de expetativas das partes interessadas e construir um excelente relacionamento com os clientes, parceiros e terceiros para constituir o principal valor de One-Team.
 

JOEL OLIVEIRA

Começou a carreira profissional em 1998 e tendo desempenhado diversas funções nas mais diversas áreas de negócio, foi em 2009 que, após um envolvimento mais próximo com a área de testes de software, criou a primeira comunidade portuguesa online focada em qualidade e testes de software. Um ano mais tarde foi um dos fundadores da PSTQB – Portuguese Software Testing and Qualifications Board e desde 2011 que tem vindo a participar também nos grupos de trabalho do ISTQB(R).

TEMA

Agile e os desafios das equipas Geo-distribuídas


Nas últimas décadas temos assistido a um grande investimento na conversão do Mercado nacional para um Mercado global. Este cenário acaba por implicar uma maior concorrência, assim como a necessidade de um aumento de colaboração. Mediante esta perspetiva, vários desafios precisam ser tratados, entre os quais possíveis falhas nos projetos e a escassez de recursos.

Com estes dois desafios, a adoção e uso de práticas ágeis para o desenvolvimento distribuído está cada vez mais a ganhar impulso em várias organizações de forma a tentar aumentar a qualidade e o desempenho de cada projeto. Com estas práticas vem a composição de equipes ágeis que podem estar geograficamente distribuídas de alguma forma: Os membros da equipe podem trabalhar em diferentes andares no mesmo edifício, em edifícios diferentes dentro da mesma área geográfica (em diferentes edifícios de escritórios na mesma cidade ou com pessoas a trabalhar em casa alguns dias), em cidades diferentes no mesmo país, ou então em cidades diferentes por todo o mundo. Em muitos casos, é uma combinação de vários dos citados anteriormente.

À medida que uma equipe se torna mais distribuída, o risco do projeto aumenta por várias razões, entre as quais o desafio da comunicação, horários ou até de diferenças culturais.
Neste TOC vamos discutir os desafios enfrentados por equipes ágeis geograficamente distribuídas, assim como práticas comprovadas para abordar essas questões, e que poderão ajudar na construção de uma equipe distribuída bem-sucedida.

LOCAL

ALTRAN - PORTO
Nanium Business Center
Avenida primeiro de Maio, 801
Building 10
4485-629 Vila do Conde
Portugal

PARCEIROS

  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn Social Icon

2020 | ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE TESTE DE SOFTWARE | Política de Privacidade